janela

O papel e a importância de uma Due Diligence em uma transação corporativa

Mario Alves
04/02/2019
janela

O ano de 2019 finalmente chegou e trouxe consigo uma nova perspectiva no cenário político-econômico, o que nos desafia a edificar um futuro próspero para todos. Acredito que o mundo dos negócios volte a operar de forma consistente e significativa, fortemente impulsionado pelas operações de Fusões e Aquisições de empresas, patrocinadas principalmente pelo retorno do capital estrangeiro e também pela retomada do crescimento das companhias locais, por meio de investimentos estratégicos.

A grande diversidade de situações que podem ocorrer nas operações de compra e venda de empresas, requer profundo conhecimento de todas as etapas do processo negocial que envolve a transação e exige que sejam adotadas medidas a fim de garantir a segurança para a efetivação dos negócios e obter os melhores resultados com maior geração de valor na transação, seja para o comprador ou para o vendedor.

Neste contexto, a realização de Due Diligence se torna essencial, pois se trata de uma diligência prévia à concretização do investimento, com a finalidade de avaliar riscos, caracterizada por um estudo detalhado de diversas áreas da organização para conhecer sua sustentabilidade, utilizando um conjunto de ações que possibilitam analisar minuciosamente o resultado, os ativos e passivos contábeis e jurídicos de uma determinada empresa.

O conjunto de informações coletadas e analisadas durante um trabalho de Due Diligence nas empresas traz nuances e cenários que se não forem previstos antecipadamente, principalmente pelo vendedor, podem resultar em prejuízos financeiros em decorrência da desvalorização da sua companhia.

Para o comprador, essas informações permitem uma visão mais abrangente e detalhada da situação econômico-financeira e dos riscos operacionais, de mercado ou tributários, que envolvem a empresa em que se pretende investir, evitando surpresas após a conclusão da transação que podem ocasionar futuros prejuízos financeiros.

Contar com uma equipe de assessores especializados neste tipo de operação se torna uma vantagem importante e esta assessoria deve possuir uma equipe focada e especializada no tipo de operação que se pretende realizar.  Nossa experiência mostra que reduzir custos e/ou suprimir etapas do processo, pode significar aumentar riscos e potenciais custos financeiros no futuro.

Do ponto de vista do vendedor, a verificação antecipada tende a valorizar ao máximo o capital investido, proporcionando maior rentabilidade. Os vendedores constantemente caem na armadilha de priorizar o tempo em relação ao resultado da operação, porém nem sempre a rapidez na concretização de uma negociação garante maior rentabilidade ao negócio. Nossa vivência neste mercado nos permite dizer que uma preparação antecipada focada na venda de uma operação tende a maximizar o seu resultado em até 30%.

Atualmente temos visto com muita frequência o potencial vendedor ser contatado pelos agentes de possíveis compradores ou investidores interessados em sua empresa. Quando isto ocorre, o fator tempo poderá passar a ser um poderoso inimigo, caso este vendedor não tenha se preparado e não tenha sido assessorado adequadamente antes de iniciar o processo de negociação, estando submetido a toda sorte de surpresas.

Na Crowe, nosso grupo de sócios tem um amplo repertorio e experiência em negócios de “middle-market”, conhecendo muito bem as características e peculiaridades destes negócios. Sabemos que um número bastante representativo deste segmento é composto por empresas familiares, de pequeno porte e com pouca sofisticação de controles, que necessitam de ajuda para seu desenvolvimento.

 

mario alves

Mario Alves é Sócio de Due Diligence da Crowe Brasil. Possui mais de 20 anos de experiência atuando no suporte de transações de M&A tanto para compradores, quanto vendedores no Brasil e exterior.